Rua Comendador Araújo, 323 - conj 113 - Batel, Curitiba - PR, 80420-000  -   041-3015-5212 

Avenida Gabriel De Lara, 750 -  João Gualberto, Paranaguá  - PR. 83230-550  -  041-34227419

  • Clínica Leprevost

ENDOMETRIOSE E O CONSUMO DE CARNE VERMELHA: QUAL É A ASSOCIAÇÃO?

A ligação entre a dieta e endometriose tem sido constantemente revisada na literatura, O que motiva essas pesquisas é o fato de que os alimentos hoje estão no centro de um enorme debate como os grandes fatores de risco para muitas doenças crônicas. É sabida e consagrada também a capacidade dos componentes anti-inflamatórios presentes nos alimentos, que podem trazer alívio para as doenças crônicas, mas, no entanto, há uma certa dificuldade na comunidade médica tradicional em incorporar conhecimentos que não sejam controlados pela indústria farmacêutica. Outra questão que se apresenta é a crítica à transposição dos modelos animais para os humanos, e a aplicação desses conhecimentos em estudos prospectivos. O fato é que várias revisões atualizadas mostram forte correlação entre certos hábitos alimentares e a endometriose. Nitidamente, os trabalhos mostram que há diferenças entre a ingestão de carne vermelha, aves, peixes e frutos do mar sobre o risco de endometriose. O consumo de carne vermelha, tanto processada quanto não processada, é um dos principais culpados na promoção do risco, ao passo que a substituição de carne vermelha por peixe, marisco ou ovos foi associada a menor risco da doença. A ingestão de aves também pode levar ao aumento do risco, mas menor. É possível que, no caso da endometriose, um dos problemas seja o ferro heme presente na carne vermelha, o que também aumenta o risco de câncer de cólon. Além disso as mulheres com maior consumo de carne vermelha tem maior probabilidade de estar acima do peso ou obesas, por ter maior ingestão calórica, associado ao fato de que a carne vermelha pode aumentar os níveis endógenos de estrogênio (estrona e estradiol), hormônio do qual a endometriose é dependente. A carne vermelha, aves, peixe e os ovos diferem quanto à composição de aminoácidos e teor de ácidos graxos. A ligação potencial entre a fonte de proteína na dieta e a composição da microbiota intestinal deve ser considerada. A microbiota intestinal tem participação na patogênese da endometriose pois o intestino tem papel na regulação de moléculas de sinalização que orquestram vias inflamatórias, imunes e proliferativas. O correlação da endometriose com doenças autoimunes tem sido cada vez mais relata.

Am J Obstet Gynecol. 2018 Aug;219(2):178.e1-178.e10. doi: 10.1016/j.ajog.2018.05.034. Epub 2018 Jun 2.A prospective cohort study of meat and fish consumption and endometriosis risk

Ann Transl Med. 2018 Dec;6(Suppl 2):S119. doi: 10.21037/atm.2018.12.14. Seeing red: diet and endometriosis risk.

10 visualizações