• Clínica Leprevost

É POSSÍVEL TRATAR MIOMATOSE UTERINA SEM CIRURGIA?

Sim, existe tratamento clinico para miomatose uterina.

Não obstante o CONITEC (comissão de tecnologias do SUS) em 2017 ter considerado que “o tratamento de eleição para miomas é cirúrgico”, nós discordamos. Em seu protocolo, o órgão elenca como tratamento clínico apenas os análogos do GNRH, associados ou não à "add-back therapy", que podem ter efeitos colaterais intensos e devastadores. A nossa preferência é pela gestrinona.

A gestrinona é um esteróide sintético do grupo 19-nortestosterona. Esse fármaco tem ação sobre a miomatose uterina por dois mecanismos principais:

1. Por inibir os picos dos hormônios hipofisários que regulam a função ovariana (FSH e LH), diminuindo a sua produção estrogênica;

2. Suprimindo a ação do Estradiol sobre seu receptor (ERα) e impedindo também, sobre este, a ação de uma proteína reguladora da transcrição, que por sua vez é estimulada pelo estradiol. O ERα tem papel vital no crescimento dos miomas.

Desta forma, os miomas não crescem ou diminuem, podendo-se, em alguns casos, dispensar ou adiar o tratamento cirúrgico.

Mulheres em uso de gestrinona devem ter monitoradas suas transaminases hepáticas, sua glicemia e seu perfil lipídico. A gestrinona tambem exige alimentação adequada e atividade física, pois pode facilitar o ganho de peso nas mulheres que não se cuidam. Um método seguro de contracepção deve ser feito, sobretudo se o uso for na forma de implantes, pois a droga é embriotóxica para alguns animais e também pode causar masculinização de feto feminino.

Esse medicamento só deve ser usado por quem o estuda.

2 visualizações

Rua Comendador Araújo, 323 - conj 113 - Batel, Curitiba - PR, 80420-000  -  

Fones: 041-3015-5212 e 31496566. Whatsapp 041 99915-5156

Avenida Gabriel De Lara, 750 -  João Gualberto, Paranaguá  - PR. 83230-550  - 

Fone: 041-34227419.  Whatsapp 041 98803-1273